quarta-feira, 29 de junho de 2016

Prova Escrita de Biologia e Geologia 702 - 1ª Fase 2016








Parecer acerca da Prova Escrita de Biologia e Geologia 702 - 1ª Fase 2016


Apesar de a prova estar, na sua generalidade, de acordo com os programas homologados da disciplina, assim como articulada com a informação-exame divulgada pelo IAVE, I.P., gostaríamos de dar nota dos seguintes aspectos, que poderão originar constrangimentos na correta interpretação e resolução dos itens por parte dos examinandos.

Grupo I - item 1 - a razão entre isótopos tem sido abordada em provas anteriores em contextos de datação absoluta. A ausência de informação acerca da estabilidade do isótopo pesado 13C, associada ao não balizamento do item que remeta para um ratio quantitativo dificultaram a sua interpretação.

Grupo II - consideramos este grupo muito trabalhoso e, relativamente ao suporte documental, entendemos que o primeiro parágrafo fornece informação desnecessária à resolução dos itens, omitindo informações relevantes relativas à situação experimental descrita e fundamentais para a interpretação e correta resolução de alguns itens.

Grupo II - item 1 - entendemos que a formulação da hipótese é demasiado longa dependendo da referência a três conceitos: curvatura, substância e ápice. Sugere-se que a resposta seja contemplada com a omissão à referência “produzida no ápice”.

Grupo II - item 8 - pensamos que este item procedimental apresenta um grau de dificuldade elevado, dado o nível de abstração da experiência. Relativamente aos critérios de classificação, em alternativa ao 1.º tópico, sugere-se que seja admitida a referência a um bloco de ágar com a ausência de auxinas.

Grupo III - item 9 - entendemos que alguns processos de meteorização (como a haloclastia), dada a sua especificidade e não referência objetiva no programa, devam ser evitados.

Grupo IV - item 9 - apesar de cientificamente correto, consideramos que o recurso ao termo "espiráculos", do qual depende diretamente a correta resolução do item, pode ter condicionado fortemente a sua interpretação. Trata-se de um termo de utilização científica mais restrita, surgindo mais frequentemente na bibliografia com a expressão “aberturas”. A utilização do termo "traqueias", este devidamente balizado pelo programa, teria sido significativamente mais adequada.
("traqueias" diferente de "espiráculos - aberturas" _ nota mclameiras

Registamos por fim que, nesta prova de exame, existe um desequilíbrio no grau de dificuldade entre as componentes de Biologia e Geologia, sendo que entendemos que o conjunto de itens correspondentes à componente de Biologia é mais complexa.
Coimbra, 23 de junho de 2016

A Direção Nacional da APPBG

terça-feira, 28 de junho de 2016

Pesticidas

 
 
 
Pólen de abelhas contém até 30 pesticidas
 
 

terça-feira, 22 de março de 2016

Dia Mundial da Água


Todos os anos são realizadas 650.000 análises à água que chega às nossas casas pela torneira, o que dá uma média de 1.780 análises por dia. Ainda assim, segundo o Minuto Verde, da Quercus, os portugueses ainda se sentem desconfiados em relação à qualidade de água que vai para as suas torneiras. Mas sem razão.

É que Portugal é um dos países da União Europeia mais avançados no que toca ao controlo da qualidade de água. De acordo com a Quercus, 98% da água do país é segura para beber, uma classificação que nos é garantida pelas tais 650.00 análises de água, que avaliam cerca de 50 parâmetros.

Antes de ver o episódio de hoje do Minuto Verde, da Quercus, (aqui) saiba por que razão a água é o recurso mais ameaçado do século XXI e fique com sete dicas para apreciar a água da torneira.


sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

El Niño

El Niño não perdeu força e vai provocar frio e calor invulgares nos EUA

A força do fenómeno El Niño não diminuiu e o maior impacto vai ser sentido nos Estados Unidos em 2016, quando provocar frio no sul do país e um invulgar calor no norte, segundo a NASA (31/12/2015_visão.sapo.pt)    ler mais aqui

*O El Niño é um fenómeno climático causado pelo aquecimento das águas do Pacífico além do normal e pela redução dos ventos alísios na região equatorial. Sua principal característica é a capacidade de afetar o clima a nível mundial através da mudança nas correntes atmosféricas.
O nome “El Niño” foi escolhido pelo fato do fenómeno de aquecimento das águas na costa do Peru acontecer em dezembro, próximo ao Natal, e faz referência ao “Menino Jesus” ou, em espanhol “Niño Jesus”. 



quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Quase 60 anos depois... continua atual!



Impressão Digital

   Os meus olhos são uns olhos,
     e é com esses olhos uns
     que eu vejo no mundo escolhos,  
     onde outros, com outros olhos,
     não vêem escolhos nenhuns.

     Quem diz escolhos, diz flores!
     De tudo o mesmo se diz!
     Onde uns vêem luto e dores,
     uns outros descobrem cores
     do mais formoso matiz.

     Pelas ruas e estradas 
     onde passa tanta gente,
     uns vêem pedras pisadas,
     mas outros gnomos e fadas
     num halo resplandecente!!

     Inútil seguir vizinhos,
     querer ser depois ou ser antes.
     Cada um é seus caminhos!
     Onde Sancho vê moinhos,
     D.Quixote vê gigantes.

     Vê moinhos? São moinhos!
     Vê gigantes? São gigantes!

                            António Gedeão

in "Movimento Perpétuo", 1956


Publicado em Bibliozarco

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

SEMANA C&T (CiÊNCIA E TECNOLOGIA) na ZARCO

Dia Nacional da Cultura Científica, 24 de Novembro, surgiu em 1997 para comemorar o nascimento de Rómulo de Carvalho e divulgar o seu trabalho na promoção da cultura científica e no ensino da ciência.

Para comemorar a Semana da Ciência & Tecnologia o grupo de BIOLOGIA e GEOLOGIA da ZARCO organiza as seguintes atividades: 


Resultado de imagem para tesourosPalestra com Dra Lúcia Vasquez “Segredos e tesouros geológicos das paisagens em Portugal”
(9h - 11h - Auditório – 10.º Ano) 10º4 - 10:00 -11:00 








“Descomplicando a saúde…Da célula normal à célula tumoral” – por investigadoras do LIP – LPCC laboratório de Investigação pedagógica (LIP),  Liga Portuguesa contra o Cancro (para os alunos do 11º ano)


O cancro caracteriza-se pela perda do controle da divisão celular e pela capacidade de invadir outras estruturas orgânicas.

 Uma célula normal pode sofrer uma mutação genética, ou seja, alterações no DNA dos genes. As células cujo material genético foi alterado passam a receber instruções erradas para as suas atividades (figura).


Independentemente da exposição a agentes cancerígenos ou carcinógenos, as células sofrem processos de mutação espontânea, que não alteram seu desenvolvimento normal.

As alterações podem ocorrer em genes especiais, denominados proto-oncogenes, que, a princípio, são inativos em células normais. Quando ativados, os proto-oncogenes transformam-se em oncogenes, responsáveis pela malignização (cancerização) das células normais. Essas células diferentes são denominadas cancerosas.

http://www.ligacontraocancer.com.br/como-surge/


sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Espécies ameaçadas em Portugal - Trabalhos de alunos

O melhor trabalho e mais criativo:
("Bibliografia"...)

Fotografia da Marsilea quadrifolia não existe.Um trabalho que mereceu uma menção honrosa pelas particularidades da Marsilea quadrifolia


"Trevo de quatro folhas" na realidade uma folha de trevo é que tem quatro folíolos.
E é uma Pteridófita (como os Fetos, não tem flores).

Deixo aqui para vos dar SORTE.



Pode consultar  outras espécies ameaçadas: Biodiversidade em Portugal da Turma 10ºA


sexta-feira, 6 de novembro de 2015

sábado, 31 de outubro de 2015

COGUMELOS SILVESTRES - Tipo de Nutrição

Cogumelos (Saprófitas) - Parque das Austrálias - Matosinhos
Chapéu (com esporos negros)e pé do cogumelo

Fungos Saprófitas sobre um tronco cortado ( Decompositores)

Os Cogumelos pertencem ao Reino Fungi e como tal são Heterotróficos por absorção.

Os diferentes processos de obtenção dos compostos orgânicos permitem considerar diferentes tipos de fungos, assim:

Decompositores ou Saprófitas

Fungos que obtêm energia, carbono e azoto diretamente da matéria orgânica morta. As hifas destes fungos libertam enzimas hidrolíticas que são lançadas para o substrato orgânico ocorrendo aí a digestão de moléculas complexas que o contituem. Decorre asim, uma digestão extracorporal. Durante a decomposição liberta dióxido de carbono (CO2) para a atmosfera e repõe no solo minerais que as plantas poderão utilizar.
Sem a ação destes organismos e das bactérias decompositoras a matéria orgânica morta acumular-se-ia e esgotar-se-iam os recursos minerais no solo e de carbono atmosférico de que as plantas dependem para realizar a fotossíntese. Exemplos de fungos decompositores são os que se observam sobre os troncos de árvores em decomposição.

Parasitas

Fungos que colonizam organismos vivos, animais ou plantas, dos quais obtêm o alimento, com prejuízo para o hospedeiro. Os fungos parasitas são a causa de doença mais importante nas plantas (ex. tinta do castanheiro, míldio da vinha, etc) sendo também causadores de inúmeras doenças no Homem, tais como dermatomicoses, candidíase e endomicoses pulmonares e viscerais mais graves.


Simbiontes

Estes fungos vivem em estreita associação com outros organismos, sendo a relação benéfica para ambos. 
Os líquenes são associações entre um fungo e uma alga verde ou uma cianobactéria e são frequentemente os colonizadores de diversos habitats terrestres.
As micorrizas são associações entre fungos filamentosos do solo e as raízes das plantas. Os fungos desempenham um papel relevante na nutrição mineral das plantas, que, em contrapartida, lhes fornecem o alimento de que necessitam.

in Oficina de Identificação de Cogumelos Silvestres por Sara Barbosa (CMIA)

domingo, 25 de outubro de 2015

Os relógios atrasam uma hora neste domingo. Mas porquê?

Bom dia!
No próximo domingo, 25 de Outubro, tem início o horário de inverno. Assim, deverá atrasar os seus relógios 60 minutos às 2h da madrugada de domingo, passando para a 1h. Na Região Autónoma dos Açores, a mudança é feita à 1h da madrugada de domingo, passando os ponteiros a marcar meia-noite.

“A génese está relacionada com a poupança de energia mas hoje já não há grandes poupanças, trata-se de uma questão de comodidade”, afirma o director do Observatório Astronómico de Lisboa (OAL) ... continua aqui

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Campanha alerta para abuso de antibióticos nas crianças

A propósito destas notícias sobre a Klebsiella pneumoniae, hoje na aula, falou-se de resistência das bactérias aos antibióticos.

"Desde 7 de Agosto foram identificados no Hospital de Gaia mais de 30 doentes portadores de Klebsiella pneumoniae, uma bactéria multirresistente que terá surgido em consequência do uso de grandes doses de antibióticos. A bactéria é de rápida disseminação, transmite-se pelo toque, sobrevive na pele e no meio ambiente e desconhece-se a sua durabilidade. Até ao momento foram contabilizadas três mortes devido a este problema. ...continua aqui..."



Cartaz da campanha que arrancou nesta quinta-feira nas farmácias.

"Ainda antes de completarem o primeiro ano de vida, mais de 50% das crianças portuguesas já tomaram um antibiótico pelo menos uma vez – apesar de 90% das infecções nesta idade serem de origem viral e, por isso, não necessitarem deste tipo de medicamentos. A realidade torna-se mais grave numa altura em que o abuso dos antibióticos está a contribuir para que as bactérias sejam cada vez mais resistentes. "

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Fonte

A portuguesa Catarina Marinho, de 17 anos, estudante do 11º ano, de Economia, na Escola Secundária Pedro Nunes, em Lisboa, é uma entusiasta da fotografia e muito empenhada em actividades ambientais, tendo impulsionado a iniciativa GreenSchools na sua própria escola, venceu o concurso europeu FoodVision, iniciativa que procurou mobilizar os cidadãos europeus no sentido de apelarem a uma alimentação sustentável, através da fotografia.
ler notícia completa aqui...




Alimentação Mediterrânica - Património Mundial da Humanidade (UNESCO_2010)



PIRÂMIDE DA DIETA MEDITERRÂNICA  adaptada aos novos estilos de vida

(ASA)

O DESPERDÍCIO ALIMENTAR EM NÚMEROS

Todos os anos o mundo desperdiça 1.3 mil milhões de toneladas de alimentos, o suficiente para alimentar os continentes africano, europeu e americano durante 1 ano. 

No lixo podemos encontrar muita fruta e legumes, tubérculos e raízes, peixe, cereais, ovos e leite. Saiba mais dados sobre o desperdício alimentar.



http://videos.sapo.pt/zOhzVdY0TLC9zuO7gQku







quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Desvendar alguns mistérios das Plantas

TV - Odisseia esta 5ª feira às 15:30


O Reino das Plantas: Vida nas Zonas Húmidas (2012)

Título Original: Life in the Wet Zone.
Duração: 00:50 minutos.

Diretor: Martin Williams.






 
Fonte




"O Real Jardim Botânico de Kew, perto de Londres, é um microcosmos de 120 hectares que contém 90% das espécies vegetais conhecidas pelo homem, das mais estranhas às mais belas. Filmada ao longo de todo um ano, esta série reconstrói o ciclo completo das plantas, desde a sua aparição no planeta e a sua evolução, até chegar ao lugar vital que ocupam no nosso mundo. Pelo caminho, tentaremos resolver algumas das dúvidas a que cientistas e estudiosos estão há séculos a tentar responder: Como conseguiram sobreviver as plantas em alguns dos habitats mais duros da Terra? Como comunicam? Porque tiveram mais êxito as plantas com flores? Que planta cresce mais rápido? Como se tornaram os morcegos polinizadores de catos? Como atraem as abelhas?
Com a ajuda dos últimos avanços tecnológicos, como a técnica do Timelapse, a macrofotografia ou as câmaras 3D, o prestigiado naturalista David Attenborough revela-nos uma fascinante visão do reino das plantas."


Identificação de cogumelos Silvestres


sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Uma gota com VIDA

Uma gota de água da Riguinha (Carriçal) M.O.C. 400X
(algas, protozoários e cianobactérias)

video



Consulta realizada em 2015-10-10




Olimpíadas Portuguesas de BIOLOGIA 2016


DATAS OPB 2015/2016
23 Dezembro 2015 – Data limite de inscrições SÉNIOR
22 Janeiro 2016 – Data limite de inscrições JÚNIOR

1ª eliminatória (prova teórica nas escolas)
06 Jan 2016 – sénior (11º e 12º anos)
03 Fev 2016 – Júnior (9º ano)

2ª eliminatória (prova teórica nas escolas)
16 Mar 2016 – sénior (11º e 12º anos e também a 1ª eliminatória do 10º ano)
13 Abr 2016 – júnior (9º ano)

3ª eliminatória (prova prática em Lisboa)
14 Mai 2015

"Estas datas foram comunicadas aos coordenadores das outras Olimpíadas de Ciência, no sentido de evitar sobreposições. Contamos novamente com o vosso empenho e esperamos que a edição de 2016 seja de novo um sucesso. Podem desde já avisar os vossos estudantes que em 2016 as IBO decorrerão no Vietname (Hanói) de 17 a 23 de Julho e as OIAB decorrerão no Brasil (Brasília), de 11 a 17 de Setembro. Dentro de alguns dias enviaremos ainda os resultados dos inquéritos e informações para as novidades das OPB2016."

Saudações Biológicas...


Célula Vegetal - com cloroplastos (Fotossintética)


"Plant cell structure pt" por LadyofHats (Mariana Ruiz)

Os plastos são divididos em três grandes grupos: cloroplastos (organelos fotossintetizadores), cromoplasto (responsável pela pigmentação de certos frutos) e os leucoplastos (armazenam substâncias).

Os Cloroplastos são plastos que contêm clorofila, responsáveis pela fotossíntese. Só são encontrados em células expostas à luz.


ciclose é o movimento do citoplasma dentro de células vivas vegetais, levando os cloroplastos para a parte mais exterior do citoplasma para facilitar a captação da luz e calor vindos do meio externo.


video

Movimentos de ciclose em Elodea densa

(Aula prática 2015-10-10)

Os lisossomos são mais raros nas células vegetais. As células das sementes possuem lisossomos que, durante a germinação, digerem as substâncias nutritivas armazenadas.

(Os lisossomos são especializados na digestão intracelular. Eles são extraordinariamente diversos em forma e tamanho. Apresentam um conteúdo elevado de fosfatase ácidas e outras enzimas hidrolíticas. Atualmente são conhecidas em torno de 50 hidrolases lisossómicas, as quais são capazes de digerir a maioria da substâncias biológicas.)



Por outro lado, a parede celular, os cloroplastos e os grandes vacúolos são encontrados em células vegetais, mas não nas animais.



No entanto nas células vegetais jovens podem aparecer vários vacúolos que se vão unindo e  evoluindo para o vacúolo central representado na Figura (fonte)
















quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Nobel da Química 2015 para mecanismos de reparação do ADN



Prémio Nobel da Química para "caixa de 

ferramentas" celular de reparação do ADN


Sem a “caixa de ferramentas” que as células possuem para corrigir os erros que vão surgindo no seu ADN, não haveria vida na Terra. Os laureados deste ano fizeram trabalhos pioneiros na área da reparação do genoma.

O Prémio Nobel da Química 2015 foi atribuído em partes iguais ao sueco Tomas Lindahl, do Instituto Francis Crick (Reino Unido); ao norte-americano Paul Modrich, da Universidade Duke (EUA); e ao turco Aziz Sancar, da Universidade da Carolina do Norte (EUA), pelos seus "estudos mecanísticos da reparação do ADN", anunciou esta quarta-feira em Estocolmo a Real Academia das Ciências Sueca.



Localização do material genético em Eucariontes (no núcleo existem cromossomas constituídos por moléculas de DNA ligadas a proteínas (histonas) 


DNA - Ácido  Desoxirribonucleico (estrutura em dupla hélice) (P.EDITORA - Biologia 10)


O DNA é uma macromolécula formada por duas cadeias polinucleotídicas anti-paralelas.  A unidade estrutural é o nucleótido constituído por um grupo fosfato, uma pentose e uma base azotada (A/T/G/C)

Nos anos 1960, pouco mais de uma década depois da descoberta da estrutura do ADN, pensava-se que esta longa molécula, albergada no núcleo de cada uma das células do nosso corpo, era muito estável. Nas divisões celulares, por exemplo, copiava-se a si própria sem falhas. E embora a evolução das espécies exigisse que houvesse algumas mutações pelo caminho, considerava-se que o seu número era bastante limitado de uma geração para a seguinte.

Hoje, sabe-se que a realidade é diametralmente oposta a esta visão das coisas: não só o nosso genoma está sempre a ser agredido e danificado pelos raios ultravioletas (UV) do Sol e por uma pletora de substâncias tóxicas presentes no ambiente, mas o ADN também é, ele próprio, intrinsecamente instável.

Em particular, durante os vários milhões de divisões celulares que decorrem diariamente no nosso corpo, a cópia das “letras” do ADN é um processo sujeito a erros “ortográficos”. E para além disso, milhares de alterações espontâneas do genoma acontecem todos os dias nas nossas células.

“O nosso material genético não se desintegra num total caos químico porque há uma bateria de sistemas moleculares que está constantemente a monitorizar e reparar o ADN”, lê-se num comunicado do comité do Nobel. “O Prémio Nobel da Química 2015 recompensa três cientistas cujos trabalhos pioneiros permitiram mapear em pormenor o funcionamento de alguns destes sistemas ao nível molecular”.

...

Utilizando bactérias, Lindahl identificou uma enzima (uma proteína) que removia as moléculas de citosina – uma das quatro bases (ou “letras”) que se encadeiam no ADN – quando elas estavam danificadas. Em 1974, publicou a descoberta deste mecanismo, dito de “reparação por excisão de bases”.
...

Sancar arranjou finalmente emprego como técnico de laboratório na Universidade de Yale – onde havia cientistas a estudar um outro mecanismo celular de reparação (não sensível à luz) dos danos no ADN causado pelos UV.

Participando nessas pesquisas, conseguiu então mostrar, em experiências in vitro, que existia um trio de enzimas capaz de identificar esses estragos feitos pelos UV e de “cortar” a cadeia de ADN que continha o defeito em causa. Tinha assim descoberto um outro mecanismo celular de preservação do ADN, o da “reparação por excisão de nucleótidos” (os nucleótidos são formados pelas bases do ADN acopladas a outras moléculas).

...
O terceiro laureado, Paul Modrich, descobriu ainda outro mecanismo de reparação do ADN, que intervém para corrigir os erros de cópia do ADN durante a divisão celular.

De cada vez que uma célula se divide em duas células-filhas, tem de criar duas cópias, em princípio idênticas, do seu ADN. Nesse processo, as bases (as “letras” A, T, C e G) das duas novas moléculas em formação não se emparelham ao acaso: um A liga-se sempre a um T e um C a um G. Ou quase sempre: um dos defeitos que podem surgir durante a cópia são precisamente os emparelhamentos incorrectos.

Foi esse mecanismo de “reparação dos desemparelhamentos de bases” que Paul Modrich desvendou, criando para isso, no laboratório, um vírus cujo ADN continha uma série de desemparelhamentos. Também ele descreveu e estudou as enzimas envolvidas no processo, recriando-o in vitro – um trabalho que foi publicado em 1989.

Mas ao contrário dos outros dois mecanismos, ainda não foi esclarecido o funcionamento deste tipo de reparação do ADN no ser humano.

O que acontece quando estes mecanismos não funcionam? O risco de cancro aumenta. Por exemplo, os defeitos congénitos da reparação por excisão de nucleótidos provocam uma doença, a xeroderma pigmentosa, cujas vítimas desenvolvem cancros da pele quando se expõem à luz solar, salienta ainda o já referido documento. E os defeitos da reparação do desemparelhamento de bases fazem aumentar o risco de cancro do cólon hereditário.

“O trabalho dos laureados permitiu perceber a um nível fundamental o funcionamento das células”, conclui o comité do Nobel, “e esse conhecimento poderá ser utilizado para desenvolver novos tratamentos contra o cancro.”